Home Mais de 50% dos rios de SC não atingem os critérios de qualidade da água

Mais de 50% dos rios de SC não atingem os critérios de qualidade da água


Foto: Divulgação / Aresc / ND – As coletas de monitoramento foram realizadas entre os dias 3 e 16 de março


A Sema (Secretaria Executiva do Meio Ambiente) de
Santa Catarina divulgou os resultados do Programa de Monitoramento da Qualidade
das Águas de Santa Catarina (Qualiágua SC).

No mês de março, dos 40 pontos de coleta, 21
amostras não atenderam aos critérios de qualidade em, pelo menos, um dos
parâmetros analisados.

A divulgação aconteceu na sexta-feira (29).

A Qualiágua SC faz o trabalho de monitorar os rios
do Litoral do Estado.

As coletas de monitoramento foram realizadas entre
os dias 3 e 16 de março.

Os parâmetros registrados que não estavam de acordo
com o ideal foram os de coliformes termotolerantes e turbidez, o que pode
indicar lançamento de esgoto doméstico ou dejetos animais.

No total, são monitorados 23 parâmetros:
condutividade elétrica, temperatura da água, temperatura do ambiente, turbidez,
oxigênio dissolvido, pH, sólidos totais dissolvidos, sólidos em suspensão,
alcalinidade total, cloreto total, transparência da água, demanda bioquímica de
oxigênio (DBO), demanda química de oxigênio, carbono orgânico total, coliformes
termotolerantes, clorofila, fósforo solúvel reativo, fósforo total,
ortofosfato, ortofosfato solúvel, nitrato, nitrogênio amoniacal e nitrogênio
total.

De acordo com Leonardo Porto Ferreira, secretário
executivo do Meio Ambiente de Santa Catarina, a iniciativa tem permitido a
criação de um banco de dados sobre a qualidade da água de rios catarinenses,
algo importante para gestão e planejamento à longo prazo.

“A intenção, ao tornar esses dados públicos, é
mobilizar e envolver toda a sociedade para a preservação dos recursos
hídricos”, explica.

A avaliação da qualidade da água baseia-se na
Resolução do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) 357/2005 e em suas
classes estabelecidas.

Nesse caso, os pontos são analisados de acordo com
as classes pretendidas para 2025, que variam entre a Classe 1, Classe 2 e
Classe 3, majoritariamente. Esta é a primeira campanha em que esse novo
enquadramento é utilizado para avaliar a qualidade da água da Bacia
Hidrográfica de Itajaí.

 

Índice
de Qualidade da Água (IQA)

Além da análise sobre o atendimento ou não dos
parâmetros estabelecidos pelo Conama, as análises também são avaliadas a partir
do IQA (Índice de Qualidade da Água), que considera nove parâmetros de
qualidade para sua composição: pH, DBO, coliformes termotolerantes, nitrato,
fosfato total, temperatura da água, turbidez, sólidos totais e oxigênio
dissolvido.

Assim, indicando a qualidade de água que pode
refletir a interferência por esgotos domésticos e outros lançamentos orgânicos.

A categorização, de acordo com o valor do IQA,
classifica a água dos pontos em ótima, boa, razoável, ruim e péssima. Por esse
indicador, 30% dos pontos amostrados apresentaram qualidade boa; 67,5% razoável
e 2,5% qualidade ruim.

 

O
que é o Qualiágua

O Qualiágua SC é desenvolvido por parceria entre a
Sema/SDE e a Agência Nacional de Águas e Saneamento (ANA).

Ele está sendo implementado em fases. Na primeira
fase (2019) foram monitorados 23 pontos, os quais foram ampliados para 40 em
2020, na segunda fase.

Para 2022, na terceira fase, está prevista a
ampliação da rede para mais 65 pontos, que deve abranger a Vertente do
Interior, ou seja, o território catarinense à Oeste da Serra do Mar.

Para obter mais informações de todas as campanhas
podem ser consultadas por meio do Painel Qualiágua SC.

deixe seu comentário