Home Em apenas três dias, Cunha Porã registra 17 novos casos positivos para dengue

Em apenas três dias, Cunha Porã registra 17 novos casos positivos para dengue


Fotos: Divulgação – Ao apresentar sinais e sintomas deve-se procurar atendimento médico para evitar o agravamento do quadro


O município de Cunha
Porã registrou um aumento de 160% nos focos do mosquito Aedes aegypti no
município em menos de um mês, os dados são da Secretaria de Saúde do município.
Até o início do mês de março, foi registrado 56 focos do mosquito transmissor
da dengue, nesta sexta-feira (01/04), o número era de 144 focos do mosquito.

Os números de casos
positivos também vêm aumentando, ao todo são 33 casos positivos para a doença e
62 pessoas aguardando resultado de exame. “Dos positivos, alguns são
importados, pessoas que contraíram a doença em outros municípios, mas também a
casos de transmissão autóctone, onde o contágio ocorreu no município”, alerta a
coordenadora da Sala de Situação e Agente de Endemias, Ângela Rieger Kölln.

A Vigilância
Epidemiológica de Cunha Porã, orienta que em caso de algum sintoma, é preciso
procurar a unidade de saúde a qual pertence para avaliação e posterior coleta
para sorologia de dengue. Importante lembrar que o mosquito se reproduz em
locais com água parada e esta é uma doença que não é prevenível com a
vacinação, só eliminando os focos será possível reduzir a contaminação e o
número de casos.

 

Sinais e sintomas

A transmissão da dengue
acontece durante a picada da fêmea do mosquito Aedes aegypti infectado com
vírus. Após a picada, os sintomas podem surgir entre quatro e 10 dias.

Normalmente, a primeira
manifestação da dengue é a febre alta (39° a 40°C) de início abrupto, que tem
duração de dois a sete dias, associada à dor de cabeça, fraqueza, dores no
corpo, nas articulações e no fundo dos olhos. Manchas pelo corpo estão
presentes em 50% dos casos, podendo atingir face, tronco, braços e pernas.
Perda de apetite, náuseas e vômitos também podem estar presentes.

Ao apresentar sinais e
sintomas deve-se procurar atendimento médico para evitar o agravamento do
quadro.

deixe seu comentário