Home Cunha Porã entra em situação de epidemia devido ao grande número de casos de dengue

Cunha Porã entra em situação de epidemia devido ao grande número de casos de dengue


Foto: Divulgação – A Organização Mundial da Saúde (OMS) define o nível de transmissão epidêmico quando a taxa de incidência é maior de 300 casos de dengue por 100 mil habitantes


O município de Cunha
Porã, assim como vários municípios da região, entrou em situação de Epidemia
para Dengue devido ao aumento dos casos positivamos. A Organização Mundial da
Saúde (OMS) define o nível de transmissão epidêmico quando a taxa de incidência
é maior de 300 casos de dengue por 100 mil habitantes. A caracterização de
epidemia ocorre pela relação entre o número de casos confirmados e de
habitantes. O Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (LIRAa) já
havia apontado um alto índice para possível epidemia no município.

Câmera flagra grave
acidente com óbito no Goio-ên em Chapecó

A secretaria de Saúde
de Cunha Porã confirmou 72 casos positivos para dengue em Cunha Porã e uma
internação decorrente da doença. O boletim atualizado foi divulgado no fim da
tarde desta sexta-feira (08), de acordo com o município, 62 pacientes aguardam
resultados de exames.

Segundo informações
repassadas pela coordenadora da Sala de Situação e Agente de Endemias, Ângela
Rieger Kölln, um caso positivo para Chikungunya também foi confirmado nesta
tarde, é um caso importado de outro Estado, mas requer ampla atenção.

 

Mortes por Dengue

Segundo a Dive
(Diretoria de Vigilância Epidemiológica) da Secretaria de Estado da Saúde,
Santa Catarina registrou a oitava morte por dengue neste ano, o maior número de
óbitos registrados pela doença na história do Estado, superando em pouco mais
de três meses todo o ano de 2021, quando foram sete mortes.

Esse número de vítimas
pode dobrar, já que existe ainda outras oito mortes sob suspeita e em
investigação.

Mapa mostra as cidades
infestadas pelo mosquito Aedes Aegypti. – Foto: Reprodução/DIVE



Foto: Reprodução/DIVE – Mapa mostra as cidades infestadas pelo mosquito Aedes Aegypti

 

Mortes confirmadas:

Brusque, 81 anos,
homem, autóctone;

Caibi, 72 anos, homem,
autóctone;

Chapecó, 86 anos,
mulher, autóctone;

Chapecó, 73 anos,
homem, autóctone;

Criciúma, 40 anos,
homem, importado;

Itá, 72 anos, homem,
autóctone;

Romelândia, 61 anos,
homem, autóctone;

Xanxerê, 51 anos,
homem, autóctone;

 

Mortes suspeitas em investigação:

Ascurra (01)

Blumenau (01)

Chapecó (01)

Guaraciaba (01)

Joinville (01)

Maravilha (01)

Palmitos (01)

Seara (02)

 

Sinais e sintomas: A
transmissão da dengue acontece durante a picada da fêmea do mosquito Aedes
aegypti infectado com vírus. Após a picada, os sintomas podem surgir entre
quatro a 10 dias.

A primeira manifestação da dengue, normalmente,
é a febre alta (39° a 40°C) de início abrupto, que tem duração de dois a sete
dias, associada à dor de cabeça, fraqueza, dores no corpo, nas articulações e
no fundo dos olhos. Manchas pelo corpo estão presentes em 50% dos casos,
podendo atingir face, tronco, braços e pernas. Perda de apetite, náuseas e
vômitos também podem estar presentes. Ao apresentar sinais e sintomas, deve-se 
procurar atendimento médico para evitar o
agravamento do quadro.

deixe seu comentário