Home Celso Maldaner defende o reajuste da Tabela SUS

Celso Maldaner defende o reajuste da Tabela SUS

PAÍS – O deputado Federal Celso Maldaner (PMDB-SC) destacou em discurso na Tribuna do Plenário Ulysses GuimarÃes, em Brasília, a necessidade de atualizaçÃo na Tabela do Sistema Único de Saúde (SUS) – padrÃo de referência para pagamento dos serviços prestados por estabelecimentos conveniados e filantrópicos que atendem à rede pública de saúde.
Segundo o parlamentar, atualmente mais de 1,5 mil procedimentos hospitalares incluídos na Tabela SUS estÃo defasados, de acordo com levantamento realizado pelo Conselho Federal de Medicina (CFM). Ele acrescenta que os dados sobre a perda acumulada no período de 2008 a 2014, com base em dados do Ministério da Saúde, evidenciam a urgência em se atualizar a tabela do SUS para tentar salvar a saúde do País.
O parlamentar enfatiza que uma questÃo importante para a sociedade brasileira e que o preocupa é a da saúde. “Só quem já precisou de um atendimento médico-hospitalar sabe o valor inestimável deste serviço público essencial, que deve ser entregue da forma mais humana e eficiente para a populaçÃo. Tenho certeza que agora, com a ajuda dos Estados, que conseguiram renegociar as suas dívidas com a UniÃo, nos debruçaremos de maneira conjunta e buscaremos uma soluçÃo para esta questÃo”, destaca.
PROCEDIMENTOS
Por procedimentos mais frequentes, como a realizaçÃo de um parto normal, por exemplo, as unidades hospitalares receberam, em 2008, cerca de R$ 472 a cada AutorizaçÃo de InternaçÃo Hospitalar (AIH) aprovada. Sete anos depois, o valor passou para R$ 550 – quase 60% inferior ao que poderia ser pago se corrigido por índices inflacionários como o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) e o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). Se o fator de correçÃo fosse o salário mínimo, o montante chegaria a R$ 823.
SituaçÃo semelhante acontece no pagamento pelo tratamento de pneumonias. Em 2008, cerca de R$ 707 eram pagos a cada internaçÃo. Em 2014, o valor médio passou para R$ 960, cifra defasada em 90% quando comparada com os principais índices de inflaçÃo acumulados no período. Aplicados estes índices, estima-se que o pagamento por despesas com este tipo de internaçÃo alcançasse até R$ 1.234. Os dados foram coletados junto à base de dados Sistema de Informações Hospitalares do SUS – SIH/SUS, gerido pelo Ministério da Saúde.

deixe seu comentário